17 outubro, 2007

Mostra!

A 31o. Mostra Internacional de Cinema de São Paulo começa para mim no sábado. São muitos filmes e preciso me organizar para não perder as produções cinematográficas mais interessantes. O ruim é que alguns horários batem... Pode ser que eu assista 2 ou 3 nesse dia(coitada da Karla!).

sábado 20/10

PERSONAL CHE (2007)
Colômbia / Brasil / EUA
Unibanco Arteplex 1 17:10
A biografia oficial do argentino Ernesto Che Guevara é deixada de lado para analisar as diversas interpretações que hoje convivem sobre o mito do guerrilheiro, morto há 40 anos, em outubro de 1967. Um dos rostos mais conhecidos do mundo tem várias faces. Na Bolívia, Che merece rezas e é tratado como um santo. Já em Cuba, é um modelo para criar os filhos. Neonazistas o cultuam na Alemanha. No Líbano, uma ópera de sucesso foi montada para divulgar sua vida e discutir os caminhos sangrentos do país. O ícone comunista tornou-se a bandeira dos que lutam contra o comunismo em Hong Kong. Nos Estados Unidos, há cidadãos latinos que o adoram e exilados cubanos que o odeiam. O filme conta também com entrevistas, entre outros, de Jon Lee Anderson,repórter da revista New Yorker e biógrafo de Guevara, do escritor Christopher Hitchens, do especialista em iconografia política David Kunzle e do gênio criativo italiano Oliviero Toscani.

CONTROL (2007)
Inglaterra / EUA
A vida de Ian Curtis, o depressivo vocalista e líder do Joy Division, uma das mais influentes bandas da virada dos anos 70/80. O filme baseia-se no livro "Touching from a Distance", escrito pela viúva de Ian, Deborah Curtis, e conta uma versão particular tanto da carreira quanto da intimidade do músico. Control não foge ao velho lema "sexo, drogas e rock’n’roll", mas também não é uma simples biografia de um astro de rock. Tem por ambientação a Inglaterra dos anos 70 e retrata a ascensão e queda do jovem vocalista. Concentra-se mais no sofrimento e na solidão de Curtis do que no mito, por meio de uma encenação sombria e elegante. Ian Curtis foi uma aparição meteórica e revolucionária no universo do rock.

VOCÊS, OS VIVOS (2007)
Suécia / Alemanha / França / Dinamarca / Noruega
Composto por 57 vinhetas filmadas com a câmera estática, Vocês, os Vivos é um filme sobre o ser humano, sobre suas conquistas e misérias, sua alegria e seu sofrimento, sua autoconfiança e ansiedade. Personagens que trazem em comum um aspecto solitário, mesmo quando estão cercados por outras pessoas. Um ser humano de quem se quer rir e também chorar por ele, ou ela. É simplesmente uma trágica comédia ou uma cômica tragédia sobre nós mesmos. A narrativa se passa em Estocolmo e serve universalmente para qualquer lugar ou época.
Transformaram nosso deserto em fogo (2007)
Sudão / Chade / EUA
IG Cine 17:30
A atual crise humanitária na região de Darfur, no Sudão, é refletida por meio de dramáticas fotos tiradas pelo próprio diretor, o fotógrafo de guerra Mark Brecke, e pela perspectiva de passageiros de um trem da Amtrak em viagem de três dias pelos Estados Unidos. Num dramático contraste com a graciosa paisagem americana vista do trem, as fotos do genocídio mostram desolação, morte e sofrimento humano nas aldeias queimadas de Darfur e nos campos de refugiados do Chade. Complementam as fotografias as experiências do próprio diretor e várias análises que iluminam as reais dimensões da crise e levantam sérias questões sobre a aparente indiferença do mundo. Para o grupo de viajantes, e assim também para o espectador, a travessia torna-se uma jornada emocional e de iluminação ao coração da tragédia de Darfur em meio a um cenário de descaso da mídia americana.

A ILHA (2006)
Rússia
IG Cine 20:50
Em algum lugar no norte da Rússia, num pequeno monastério ortodoxo, vive um homem incomum. Seus amigos monges ficam confusos com sua conduta bizarra. Aqueles que visitam a ilha acreditam que ele tem o poder de curar, exorcizar demônios e prever o futuro. Mas ele próprio se considera indigno por causa de um pecado que cometeu na juventude. O filme é uma parábola, que combina a realidade da vida cotidiana na Rússia com o ritual e a rotina monástica. O filme conquistou seis prêmios segundo a Academia Russa de Cinema: filme, direção, ator (Pyotr Mamonov), ator coadjuvante (Viktor Sukhorukov), fotografia e som.
LUST, CAUTION (2007)
EUA / China
IG Cine 23:00
A Xangai dos anos 40, durante a ocupação japonesa, é cenário para um drama temperado com espionagem, romance e apimentadas doses de sexo. A jovem Wang Chiah-Chih envolve-se com a Resistência e tem por tarefa aproximar-se de um figurão da política local, aliado dos japoneses, e servir de isca para eliminá-lo. O desafio maior é abrir uma brecha na barreira de segurança que cerca o cauteloso empresário e atraí-lo a uma armadilha. Para tanto, ela usa de muita sedução. Uma inesperada reviravolta, no entanto, pode fazer sucumbir todo o plano. O filme foi premiado com o Leão de Ouro no festival de Veneza de 2007, dois anos depois de o diretor Ang Lee ganhar o mesmo prêmio com O Segredo de Brokeback Mountain. A produção rendeu ainda o prêmio Osella de melhor fotografia para o mexicano Rodrigo Prieto.
DO OUTRO LADO (2007)
Alemanha / Turquia
O jovem Nejat não aprova o relacionamento de seu pai viúvo com a prostituta Yeter. Mas ele acaba simpatizando com ela ao descobrir que Yeter envia dinheiro para a Turquia, a fim de pagar os estudos universitários da filha. A morte súbita de Yeter distancia pai e filho. Nejat viaja então a Istambul para procurar por Ayten, a filha de Yeter. Mas a jovem, uma ativista política, fugiu da polícia turca e está agora na Alemanha. Ela se torna amiga de Lotte, que a acolhe em casa, a contragosto de sua conservadora mãe. Quando Ayten é presa e seu pedido de asilo negado, acaba sendo deportada. Lotte viaja à Turquia, onde se envolve com a situação aparentemente sem esperanças da amiga. O filme ganhou o prêmio de melhor roteiro no festival de Cannes 2007.
ESTE FILME AINDA NÃO TEM CENSURA (2006)
EUA
A MPAA (“Associação de Filmes da América”), uma organização lobista dos Estados Unidos para a indústria de cinema, mantém desde 1968 um sistema de avaliação. Esse sistema, com sua classificação por idade recorrendo a letras G, PG, PG-13, R e NC-17 (antes X), tornou-se um ícone cultural. Mas por trás dessa fachada simples há um processo de censura mantido em segredo. Os membros credenciados são anônimos. As deliberações são privadas. Os padrões parecem arbitrários. Este Filme Ainda não Tem Censura questiona se os filmes hollywoodianos e as produções independentes são avaliados de forma igualitária considerando conteúdos semelhantes. Também pergunta se o teor sexual dos filmes gays tem classificação mais rigorosa do que o das obras heterossexuais. Faz sentido um filme de violência extrema receber uma classificação tipo R (mais baixa), enquanto filmes com temática sexual são mais censurados? Se os estúdios de Hollywood recebem indicações detalhadas de como atenuar a censura de um filme NC-17 para R, por que os produtores de cinema independente precisam adivinhá-las? E por fim, manter secretas as avaliações e seus critérios não fariam da MPAA uma associação inconseqüente em suas decisões?
LA CRèME (2007)
França
François Mangin recebe no Natal um pequeno jarro de creme que torna as pessoas famosas. Sua vida está prestes a mudar. La Crème é uma comédia de humor negro sobre fantasmas em torno de celebridades, dinheiro, sexo e competição. Com um espírito dramático e delirante, o filme lida com personagens que tentam criar um lugar para si na sociedade, em especial quando um entre eles adquire o poder de ser visto como uma estrela.
SOS Saúde (2007)
EUA
CineSesc 00:00
O polêmico documentarista Michael Moore investiga a indústria do lucro – e da discriminação – por trás dos tratamentos médicos nos EUA, comparando seu sistema ganancioso com o de outros países de Primeiro Mundo, em que o acesso à Medicina é universal e gratuito. O colapso no sistema norte-americano de saúde atinge 47 milhões de cidadãos descobertos, sem falar na grande parcela de assegurados que não pode contar com assistência hospitalar devido à burocracia. É o caso dos heróis que trabalharam no resgate das vítimas do ataque de 11 de setembro, que hoje sofrem doenças debilitantes e têm a atenção médica negada pelo governo americano. O filme faz uma radiografia precisa do insano e muitas vezes cruel sistema de saúde do país que, quando não exclui, oferece barreiras intransponíveis para a população em busca de atendimento básico. Moore demonstra que um sistema alternativo é a única saída possível.
KURT COBAIN - SOBRE UM FILHO (2006)
EUA
Baseado em mais de 25 horas de fitas de áudio gravadas pelo jornalista musical Michael Azerrad para seu livro “Come As You Ar: The Story of Nirvana”, o documentário apresenta um retrato íntimo sobre o falecido músico Kurt Cobain. As conversas que se ouvem no filme nunca haviam sido levadas ao público anteriormente. Kurt Cobain reconta sua própria vida - de sua infância à adolescência, seus dias de descoberta musical e a necessidade de lidar com a fama explosiva. O filme tem trilha sonora dos artistas que o influenciaram (Iggy Pop, David Bowie, REM, Queen) e tomadas das cidades que mudaram sua trajetória, como Aberdeen e Seattle. Pela retrospectiva de Kurt Cobain, o espectador também vê um período específico da história americana. Por causa da excentricidade pura de sua raiva, Kurt Cobain veio ao mundo para ser conhecido como o porta-voz de sua geração. E enquanto Kurt Cobain não abraçou essa sua missão, o filme deixa claro que ele era uma figura pensativa, introspectiva, e que essas mudanças sociais e culturais tiveram uma bruta e profunda influência em sua arte.
A BANDA (2007)
Israel / França
Cine TAM 21:30
Era uma vez, há não muito tempo, uma pequena banda da polícia egípcia que chegou a Israel. Eles vieram para tocar na cerimônia de inauguração de um centro cultural árabe, mas por causa da burocracia, falta de sorte ou qualquer que seja a razão, são esquecidos no aeroporto. A banda tenta se deslocar por conta própria, mas vai parar numa pequena, desolada e quase esquecida cidade israelense, em algum lugar no coração do deserto. Uma banda perdida numa cidade perdida – pouca gente se lembra disso. A obra conquistou oito prêmios da Academia de Cinema de Israel: melhor filme, direção, roteiro, ator (Sasson Gabai), atriz (Ronit Elkabetz), ator coadjuvante (Saleh Bakri), música e figurinos.

Um comentário:

Renato disse...

Vi que vc curte Contrabaixo Acústico... Dê uma olhadinha pois dia 15 e 16 de março no SESC Pompéia teremos a Primeira Mostra de Contrabaixo ACústico... Qualquer coisa lhe mando o programa... Flw