20 maio, 2013

Sonho de cristal


O gelo do seu whisky derreteu
assim como os seus sonhos
e não vamos dormir
assim parece que o dia não acabou

quero vender minha tristeza
a minha felicidade não vale nada
quem sabe prostituir esse poema 
recitar esses versos para os loucos de crack 

o isolamento é amargo
o medo bafeja na orelha
vamos mudar de vida
antes que a vida acabe

você coloriu o céu com nanquim 
idealizei sua alma com lápis grafite 
sem cor, pois não há paixão
sem alma, pois não, nada faz sentido 


3 comentários:

Tati disse...

POesia boa é sempre bem-vinda!

Kal J. Moon disse...

Bacana

Li Limeira disse...

Amei...muito bom!!!