18 julho, 2011

Liquidez


Sou um arquivo para download
é só clicar
encamado por um revertério
meio aquilo proposto por Zigmunt Bauman

mais que um cidadão pós-moderno
preciso de ereção e beijo na boca
se o meu cigarro chegar até o filtro
não tem problema, acendo outro

nós dois temos um prazo de validade
semana passada, na sua última ligação
disse um discreto “até breve”
um contra-fluxo

na prateleira posso escolher
idade, cor dos olhos e altura
uma paixão passageira
uma fragilidade coletiva


20 comentários:

Lucas D.F. disse...

tou seguindo
retribui?
http://meninos-cor-de-rosa.blogspot.com/

Adriano Ferreira, CM disse...

bauman, baudrilard... a pós modernidade nos engole. na infinidade de escolhas possíveis escorremos como uma coca-cola usada pra desentupir o ralo.

Guido Carmo disse...

Cara... muito bom seus textos!!!
"Se meu cigarro chegar no filtro, não importa acendo outro"... massa!!

best fakes disse...

esse texto é muito bom parabéns pelo blog

http://bestfakesnet.blogspot.com/

Rafael disse...

Muito bom parabéns


http://lrfilmes2011.blogspot.com

@iamvictor_ disse...

sinceramente, adorei

Gláu.. disse...

Bom seu texto

diogo disse...

Gostei dxas referencias, comparações e intertextualidades! sucesso!

Lucas D.F. disse...

muito bom

Danny Vidal disse...

Taí, tantas são as vezes em que senti o mesmo mas não encontrava palavras para verbalizar.


http://poeirafina.blogspot.com/

Shairy disse...

Eu queria poder escrever assim, mas acabo sempre acabando numa coisa bem mais pessoal!!!
Mas muito bacana mesmo teu texto
BEijãozão

Cícero Barbosa disse...

mas isso é super pessoal. não imagina o quanto!

Guilherme D. Dutra disse...

Cara, você tem o dom das palavras certas. Também sou escritor de poesias, bem pior que você, mas tento rs. Mas acho que deveria, de duas uma: ou tentar rimar em estrofes de quatro versos cada, ou aumentar as estrofes, já que nao precisa rimar, nao precisa manter a metrica também.
Bom eh isso ai. Parabens pelo blog.

Aline Diedrich disse...

E todo mundo como um produto?

rafaneres disse...

Muito bom seu texto cara

"na prateleira posso escolher
idade, cor dos olhos e altura
uma paixão passageira
uma fragilidade coletiva"

PARABENS!!!

Myla disse...

lindo poema!

e respondendo é realmente creditos não custa nada mas ninguem ajuda para fazer nada e querm credito de graça.

http://versosembossa.blogspot.com/

Uilian Garcez disse...

Seguindooo....

http://1000artemanhas.blogspot.com/

AssiZ de Andrade disse...

Nossa, Maravilhoso!
Somos irmão em pós-modernidade, notei agora... rsrs
Também adoro Bauman, praticamente um papa dos nossos tempos líquidos.

Vou te seguir, depois visite meu Avesso do espelho. Tenho certeza que vai gostar.

Abraços!!

http://redutonegativo.blogspot.com
http://cafeeagua.blogspot.com
www.twitter.com/rejane_marques

Marcus Alencar disse...

O que achei mais legal nesse poema é que ela fala de algo do mundo moderno e tecnológico e ainda se remete ao pós-moderno enquanto referência.

Wanderly Frota disse...

E cada novo texto lido eu me convenço mais ainda que estou no lugar das palavras certas! ;) Preciso dizer que adorei a profundidade e a inovação?

beijinhos