08 agosto, 2013

(in) Tranquilidade


Amanhece desamanteigada
mas com sutileza
se embrenha no dia-a-dia
com a faca nos dentes

conheço pouco dela, cada vez menos
estou aprendendo
saí do fundão
estou sentando na primeira carteira

não quero que ela mude
eu é que estou me metamorfoseando
ela me ensina sem saber
como a vida é vida

quero fazer como Wim Wenders
em Janela da Alma
e ajustar o meu enquadramento
somente nela


10 comentários:

Guilherme Augusto disse...

O bom é ela gostar de você por quem você é, não precisando mudar para ela te ver... :)

Cícero Barbosa disse...

cara, é que sou uma pessoa difícil...

Mosaicos de uma vida disse...

Que lindo e sensível... vai se lapidando, mas ela tbm precisa entrar na onda!

Kal J. Moon disse...

Final de inverno na praia do Arpoador... (KJM)

Aline disse...

"ela me ensina sem saber como a vida é vida"... Gostei da frase. Gostei da poesia!

Shayane Azevedo disse...

Muito doce.


Se quiser conferir..

http://shayaazmeier.blogspot.com.br/

Duo Postal disse...

Um tanto quanto nostálgico sem perder o estilo!!!

http://duo-postal.blogspot.com

Raul disse...

Realmente, acreditamos no que venha a acontecer em seguida, temos que ter atitude para as coisas.
Abraço.

Ana Lucia Nicolau disse...

que bacana! gostei muito....perfeito ato de amor, abçs

Wíllivan Carsan disse...

Que perfeito... Quando gostamos começos mudar... Sem querer ou querendo mudamos para poder melhor amar... Quem sabe..