19 fevereiro, 2010

Deixa eu terminar de falar


Você chega assim
põe o dedo na minha cara
diz que não presto
e que nunca mais quer me ver

não posso fazer nada
não faço nada
deixo seu vulto sumir
na escuridão que faz o corredor

vou até a geladeira
abro uma cerveja
está quente
deixo ela um pouco no freezer

você sempre me lembrava de coisas bobas
como fechar as janelas antes de sair de casa
levar o guarda-chuva em dias cinzentos
e das cervejas no congelador

2 comentários:

Dindi disse...

Esse Cícero...

Cícero Barbosa disse...

... vive correndo atrás do próprio rabo.