06 dezembro, 2009

Estilete sem cabo


Agora que estou sóbrio
posso dizer
bato no peito
você passou

mas tu sabes como sou
preciso escrever
acho que assim a realidade vira realidade
como um gravador

nunca saberão e nem eu vou entender
como são seus olhos
tentei
mas não consegui traduzir em palavras

mesmo porque
a eternidade acabou com eles
preço caro que paguei
por me embriagar constantemente de poesia

6 comentários:

Lucas disse...

ha sempre um preço caro a se pagar, quando você entrega sua alma á outrém,pois se nem você consegue cuidar da sua alma e a entrega, que responsabilidade tem o outro de cuidar de algo que de fato nem é seu?

aff odeio quando bate em mim um espirito de superficialidade, mas enfim...

Cícero Barbosa disse...

hey, gostei disso Lucas!

abraço.

Dindiii disse...

ha- ha Isso tem nome: Vaidade. Pura vaidade. Ou não!

Cícero Barbosa disse...

rsrsrs

Dindiii disse...

Não rio. É sério ;P

Cícero Barbosa disse...

pode ser.............