04 dezembro, 2009

Não posso te culpar


Dias estranhos
não posso fazer planos
frágil e cinza realidade
castelo de cartas

ferros retorcidos
não restou nada de mim
mania de achar que posso atravessar o muro
sair ileso

forcei a barra
desculpa
poder e não poder
acaba um e começa outro: simples

me cure
só você sabe como
e por desobedecer o destino
é que continuo escrevendo

2 comentários:

Mel disse...

bonito... me identifiquei

Cícero Barbosa disse...

eu também... rsrsr

obrigado Melina linda!!!




beijos.