24 fevereiro, 2013

Loucura (II), de Augusto C. Oliveira



Sentindo tudo
a cada dor ou alegria
mesmo que isso para todos
muitos ou poucos seja de mera importância

realmente não importa e também não me importo! 
não me importo com você
não me importo com o próximo
não me importo com meu sangue

um pai, tem um filho, 
que tem um avô, ou uma avó, 
esse pai luta pela aceitação do seu pai, 
que ao mesmo tempo luta para ser aceito pelo filho

sozinho não serei ninguém NUNCA! 
serei eu, apenas EU!
que de nada me vale
até a próxima e que boas vindas sejam bem recebidas



Um comentário:

AugustoCarvalho disse...

Vai Corinthians!