27 fevereiro, 2013

Sem alma



Não sairei na chuva
quero usar a realidade como combustão dos sonhos
voltarei deste ponto para ainda conseguir voltar
Saturno como regente em Libra

ando meio hesitante 
me escondo em frases com ambiguidades
metaforizo tudo
não consigo versar

já sabíamos
queria que a resposta fosse diferente
que não tivesse um ponto final
que não tivesse o Dez de Espadas

e depois de tudo
você coloca um disco na vitrola
volta pra cama, me beija
pega sua mochila e sai




10 comentários:

Matheuslaville disse...

Poesia bem pensada.

Ana Lucia Nicolau disse...

realmente, poesia bem pensada, boa para refletirmos sobre "o valor" que damos à troa de sentimentos...abçs

palavras ao vento disse...

belas palavras;;;;muito boa a poesia...

Pergunte a uma mulher disse...

Gosto tanto da realidade que as vezes fico com raiva por "sonhar pouco" hahaha

Manfio disse...

Bom poema.
"me escondo em frases com ambiguidades
metaforizo tudo", parece até eu pensando rsrs.

Thainá M. disse...

Gostei bastante da sua forma de escrever, em especial a partir da segunda estrofe, mas atentaria aos versos. Ao meu ver, estão sem ritmo, com uma frase mais longa e outra curta, o que fica chato de ler. É apenas uma opinião, escreva como melhor lhe convém.
No mais, gostei.

Cícero Barbosa disse...

Thainá M,
se vc ler novamente
vai ver que está
errada.

;)

Thainá M. disse...

Ora, com base em quê diz que estou errada? Faça assim, leia em voz alta. Os versos não soam bem, parecem se desconectar. Mas é apenas uma opinião minha, e opinião é pessoal. Faça como achar melhor ;)

Cícero Barbosa disse...

Thainá M.,
o melhor é desse jeito: não soando bem e desconectado. kkkkk

respeito sua opinião, claro! vai que eu estou viajando, né?

acho que vc não entendeu a proposta, quero criar uma história.

acha que deu certo?

Zetrusk disse...

Belas palavras!