04 março, 2013

Sentinela



Com o sol no horizonte
fica difícil ver quem se aproxima
sinto ela assoprar no ouvido
“me escreva um poema”

claro
aparece lá em casa
preciso da sua ajuda
fica mais fácil

passei a escrever
mas o papel continuava em branco
ela arranhava as palavras
mordia as estrofes 

segurei-a pelo cabelo
e cravei a caneta em seu pescoço
a cama ficou tingida de palavras
e no chão caíram os versos



5 comentários:

Thainá M. disse...

Uau. Que fim surpreendente, que analogia bonita. Adorei essa última estrofe. E sim, esse está em belo ritmo.

Millena Blogueira disse...

O poema é perfeito.
Você escreve muito bem.

tha helena disse...

nossa adorei o poema, parabens.

Victor Lourenço disse...

Belo texto. Os sentimentos devem ser expostos assim, da forma mais simples.

Catherine M. disse...

Impressionante. Parabéns!