20 novembro, 2009

Linhas em branco, um poema não escrito


Escrevo a primeira linha
como se fosse a última
tento voltar no tempo
para reviver alguns segundos

mas o certo talvez fosse
encerrar aqui o poema
e acelerar o tempo
para poder encontrá-la novamente

talvez devesse arrancar essa folha
todas as folhas
como quem quer apagar o tempo
para esquecer uma dor perturbadora

tudo em vão
escrevo sobre os sentimentos de uma despedida súbita
sobre todos os arrependimentos
que marcam o momento da partida

2 comentários:

Mel disse...

me senti triste...

Cícero Barbosa disse...

não fique assim... rsrsr