22 novembro, 2009

Sonhos invisíveis


Ela me fez uma pergunta
que eu não soube responder
seus olhos insistiam
refletiam um dia sem sol

numa outra pergunta
sabia a resposta
mas preferi manter-me em silêncio
dava para escutar o barulho da rua

param as perguntas
parou a chuva
parei de sorrir
ela ficou na porta que dava para a saída

resolvi entrar
saímos
somente então percebi
que estava longe de casa

2 comentários:

FABRICA DE SERES disse...

ADORO SEUS POSTS *____*

Cícero Barbosa disse...

obrigado Lucas!!! abraço.