22 novembro, 2009

Linhas sujas


Água quente
cinco minutos
registro fechado
agora o vapor

respiro com dificuldade
o ar pesado
embriaguez súbita e acolhedora
ventre materno

centenas de pingos escorrem
meus olhos ardem
molho o chão
minha boca está seca

não me vejo no espelho
meu reflexo, um vulto
obsceno
obscena é a porta se que abre para um novo dia

4 comentários:

FABRICA DE SERES disse...

INSPIRADOR

Cícero Barbosa disse...

valeu!

Mel disse...

amei a última estrofe!

Cícero Barbosa disse...

obrigado Melina!