01 junho, 2011

Apologia


C
heirava e beijava todos os seus poros
todos os seus orifícios
decorei em tempo recorde
as maneiras com que ficava arrepiada

girava e girava-a sem descanso
puxava seus cabelos
descompasso
passo a passo

fiz um pedido
“me morde”
ela se fez de desentendida
abriu os olhos

percebi que se passou algo
comigo e com ela
não fomos os mesmos desde então
nunca mais



2 comentários:

HÉLIO disse...

adorei

fernando disse...

simplesmente genial!