22 maio, 2011

Vinho, óculos, mesa


S
obre a mesa
um guardanapo borrado de batom
um óculos com marcas do mesmo
e o gosto de vinho tinto nos lábios

o estalo dos beijos
as pessoas lá fora
as tatuagens do seu braço
gritos abafados

não tenho coragem para olhar no retrovisor
mas olho mesmo assim
não te vejo mais
é esquecer da saudade que está por vir

é a covinha que me faz sorrir
e o vinho às 17h
nós...
por aí



pro Cícero publicar
com todo amor!

http://prepsicopata.blogspot.com/

3 comentários:

Sandra Ribeiro disse...

Que delicia de poema!

Cícero Barbosa disse...

Sandra, você definiu muito bem.

Loverocklive disse...

Gostei bastante, a descrição é realmente incrivel, parabéns.


www.loverocklive.com