29 outubro, 2012

Endimião


Ela é louca
e gosta de ser assim
mas fala que eu é que sou o louco
devo ser, para estar com ela

ao invés de intervir
dou risada e estimulo ela ir além
essa sua vocação me assusta, mas é isso que gosto nela
e assim, resolvemos nos embriagar no café da manhã

somos uma pipa sem linha
ninguém sabe onde tombaremos
o ar atmosférico se desloca
até perder de vista o papagaio

fumamos um cigarro na janela
nossos corpos nus transpiram em júbilo
ela fala que à nossa frente está Tóquio
eu não tenho opção e acato ao seu delírio


8 comentários:

Marco disse...

esse achei mais simples.

Aline disse...

Como dizem... De poeta e de louco todo mundo tem um pouco...

Guilherme Augusto disse...

Quem ama já é por si um louco rsrs

Marcos Paulo disse...

Legal, :)

Zetrusk disse...

Amar é uma loucura!

Yuusuke disse...

Quando se ama se é capaz de inumeras loucuras.
http://nipponpress.blogspot.com.br/2012/10/assembleia-municipal-de-okinawa-exige.html

Amanda Souza disse...

Nossa a primeira estrofe imagiei meu namorado... Adoro poemas e poesias, e você tem um dom :)
http://pepperbubblegum.blogspot.com.br/

Arash Gitzcam disse...

boa cena!

_______________
http://poesiadapocacao.blogspot.com.br/